A recente pandemia de coronavírus levantou uma série de questões para os produtores, que estão cada vez mais preocupados com a prevenção, mantendo as pessoas que circulam pelas granjas em segurança, evitando a transmissão da doença.

Vale ressaltar que apesar da família do vírus Coronaviridae ser grande, segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde), o Covid-19 não é transmissível entre animais e humanos; é de exclusividade das pessoas, que, ao terem contato com superfícies e objetos contaminados, ou com as gotículas de tosses ou espirros, podem contrair a doença. Para esclarecer acerca de como os produtores de aves e suínos devem se preparar, a Theseo montou um material resumido, com informações vindas da Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária).


O produtor pode se infectar com o COVID-19 pelo contato com animais?

O vírus do COVID-19 é transmitido apenas entre humanos. Até agora nenhum caso de infecção em aves e suínos foi relatado. O contágio só é possível no contato direto entre pessoas já infectadas.

Lembrando que tosses e espirros podem disseminar a doença, por isso a distância entre as pessoas é uma das formas de prevenção mais eficazes. Além disso, medidas de higienização do ambiente e de equipamentos são formas de evitar com que o vírus permaneça no ambiente.


Como a pandemia afeta a rotina dos produtores?

A produção animal é um setor que não pode parar, pois leva alimentos de qualidade para as pessoas. Além disso, muitas famílias têm essa atividade como único sustento, portanto precisam seguir com os trabalhos. Por isso, foram feitas diversas recomendações, com novos hábitos para prevenir a propagação e infecção pelo vírus. Como principal medida, a higienização é importante, sendo necessária para todas as pessoas que circulam pelas granjas, como colaboradores, médicos veterinários, motoristas, prestadores de serviço e visitantes.

Para manter a biosseguridade do ambiente, os produtores podem contar com a Theseo, que possui detergentes e desinfetantes em seu portfólio, eliminando bactérias, fungos e vírus causadores de doenças.


Quais as principais medidas que os produtores devem tomar para se proteger?

Em primeiro lugar, é essencial ficar atento as medidas de biosseguridade das granjas, criando um programa de higienização e desinfecção rotineiros, tanto do ambiente quanto dos materiais que entram na granja. Além disso:

  1. Lave as mãos com água e sabão;
  2. Use roupas e calçados próprios da granja durante o trabalho;
  3. Ao voltar para casa, deixe as roupas e sapatos do lado de fora;
  4. Evite tocar olhos, nariz e boca, principalmente quando estiver fora de casa. O uso de máscaras é recomendado, além de um lenço de papel ao tossir ou espirrar;
  5. Atente-se aos grupos de risco e avalie a necessidade de pessoas que fazem parte permanecerem em atividade;

O trabalho nas granjas segue normalmente, porém com novos hábitos. Seguir as recomendações é o que faz a diferença para enfrentar a pandemia, preservando a segurança de todos.

Entre em contato