​

Um dos maiores desafios atuais das cadeias produtivas de proteína animal tem sido as restrições ao uso de antibióticos promotores de crescimento (AGP’s).

Segundo pesquisa recente realizada mundialmente com os principais players da indústria de produção avícola, 69% dos entrevistados revelaram ter obtido os melhores resultados através da utilização de ácidos orgânicos em substituição aos AGP’s.

Vários trabalhos de pesquisa atestam que a utilização de blends de ácidos orgânicos e inorgânicos via água de bebida exercem efeitos positivos sobre a morfologia intestinal, manutenção da microbiota do trato gastrointestinal e imunidade das aves. Também foi verificado efeito positivo sobre índices de conversão alimentar, peso corporal e ganho de peso em aves nas fases pré-inicial e inicial. Tais resultados atestam a efetividade da adoção estratégica do uso contínuo de acidificantes durante todo o período de produção, não somente no pré-abate, como é comum no Brasil.

A prática de acidificação da água de bebida também reduz a contagem de microrganismos patógenos na água e pode controlar a formação de biofilme nos sistemas hidráulicos, aumentando o nível de biosseguridade das instalações.

Conforme atestado tanto em campo quanto em condições experimentais, o uso dos acidificantes isoladamente ou em conjunto com outros aditivos alternativos como prebioticos, probióticos e outros, se consolida cada vez mais como alternativa eficaz na substituição dos AGP’s.

Entre em contato